Relaxamento e controle da tensão muscular

18 de agosto de 2021
Relaxamento-e-controle-da-tensao-muscular-1200x800.jpg

Pode-se dizer que relaxamento é a ausência de contração ativa do músculo e que ele acontece quando não é preciso mover o corpo e nem mantê-lo parado em uma determinada posição, vencendo a força da gravidade. Sendo assim, deveríamos relaxar sempre que nos apoiamos em lugares que possam sustentar nosso peso corporal, quando não há necessidade de nos movermos.

Então, por que relaxar parece ser tão difícil para muitas pessoas?

Confira também: Alongamento e Mobilidade

Ao nos movermos, ao usarmos uma articulação, um grande número de músculos são recrutados. Os músculos que fazem o movimento propriamente dito e os que o regulam e estabilizam. Eles impedem que a articulação se mova além do previsto e auxiliam na precisão do gesto. São contrações musculares que ocorrem fora do nosso controle consciente, ou seja, na maioria das vezes, nós não as percebemos. Esse processo é influenciado por uma série de mecanismos que dependem, entre outros ajustes, do equilíbrio das forças musculares, da integridade das estruturas anatômicas, da ideia que cada um tem de quanta força precisa ser usada para cada tarefa, do quão repetitiva é nossa gestualidade.

Vivemos constantemente sob ação da gravidade. Para que haja movimento, e também para que possamos permanecer parados nas diferentes posições que adotamos ao longo do dia, precisamos resistir e nos impor a essa força. Nossa resistência à ação da gravidade é também uma força exercida pela nossa estrutura. Podemos dizer que, na maior parte do tempo, estamos fazendo algum grau de força.

Isso não é em si um problema, pelo contrário, os músculos foram feitos para fazer força. Se eles não fazem força, perdem massa e ficam menos capazes de fazer força, um círculo vicioso que nos leva a comprometer nossa capacidade de sustentar nosso peso corporal frente à gravidade.

Mas, os músculos também precisam descansar, precisam relaxar. É nos intervalos do esforço que o músculo constrói as adaptações necessárias para seguir fazendo força. Quando não há intervalo, quando não paramos, quando mantemos a contração da musculatura mesmo depois de terminada a tarefa, acontece o que conhecemos por tensão muscular. Um estado de contração permanente da musculatura traz consigo inúmeros problemas. Dentre eles, dor, perda de força por diminuição da capacidade contrátil do músculo interferindo no seu desempenho, alterações circulatórias intramusculares, compressão de terminações nervosas. Cria- se assim uma reação em cadeia que se retroalimenta piorando gradativamente o quadro. A dor gera tensão, que gera mais tensão e assim sucessivamente. Isso provavelmente explica porque é tão difícil relaxar em determinadas situações, para muitas pessoas.

Para interferir nesse processo e produzir mudanças duradouras, precisamos quebrar esse círculo vicioso. Em geral, é necessário abordar o problema a partir de diversos ângulos. Relaxar conscientemente é, acima de tudo, uma construção pessoal, um processo de aprendizagem que inclui a compreensão do que está acontecendo e o uso de recursos técnicos adequados. Massagens, calor local, técnicas manipulativas, uso de medicação, meditação, exercícios físicos regulares são muito bem vindos, produzem alívio e nos dão condições para avançar. Aprender a conhecer nossos mecanismos de uso da força, estar atentos aos intervalos, nos permitir descansar. Ter consciência de que os músculos trabalham também quando não estamos trabalhando, levar em conta que estar parado, sustentando o peso do corpo, também é fazer força. Isso tudo é parte da construção das condições necessárias para mudar um quadro tensional e para desenvolver a capacidade de controlar a situação, impedindo que ela se torne recorrente.

Texto por: Dra. Adriana Fernanda Coltro – CREFITO5/5715-F

Créditos da imagem: Freepik

Projeto Educador Logo Pequeno

O Projeto Educa Dor é uma ferramenta de informação em saúde, que busca levar de maneira clara, informações sobre os mais diversos conceitos envolvendo a dor crônica, seus tratamentos, métodos e diagnósticos.

Responsável técnico: Dr. João Marcos Rizzo - CREMERS 18903

Últimas postagens